Eleições para o Senado japonês

No domingo, dia 10 de julho, foram realizadas as eleições para 121 cadeiras do Senado japonês (Câmara Alta). Cada mandato dura 6 anos, e a cada 3 anos são renovadas metade das 242 cadeiras.

Tanto nas pesquisas quanto nos resultados, houve uma clara vitória do conservador Partido Liberal Democrático (Jimintō -自民党), do atual Primeiro Ministro Shinzo Abe. Entretanto, Okinawa contraria a tendência nacional – a província não possui nenhum representante do partido, nem no Senado e nem na Câmara. Nas eleições para a Câmara de 2014, os 4 candidatos do PLD foram derrotados no voto direto (no Japão também são eleitos candidatos pelo voto proporcional).

A grande questão que atinge Okinawa e que, consequentemente, afeta os resultados eleitorais, é a questão das bases militares. Nos últimos anos, o plano de mudar a base militar de Futenma, localizada na área densamente populosa de Ginowan, para a Baía de Henoko, em Nago, tem dividido opiniões.

De um lado, o Partido Liberal Democrático apóia essa mudança, já que a localização atual da base em Ginowan traz riscos já reconhecidos pelo governo japonês e norte-americano. Inclusive, já houve um grave acidente em 2004, com a queda do helicóptero na Okinawa International University. Dessa forma, a realocação para uma área menos populosa foi a solução acordada entre os governos japonês e norte-americano.

Do outro lado, existem aqueles que defendem a mudança da base para fora de Okinawa, uma vez que a província já concentra 74% das bases militares no Japão, considerando injusto que Okinawa carregue todo esse fardo. Deste lado está o grupo “All Okinawa”, que é contra a construção da base em Henoko, e apóia os políticos Takeshi Onaga (governador de Okinawa, eleito em 2014) e Susumu Inamine (prefeito de Nago, eleito em 2014).

A construção da base em Henoko vem sendo o tema das últimas eleições em Okinawa. Na eleição de ontem, não foi diferente. Para a única vaga de senador representando Okinawa disputaram 3 candidatos: Youichi Iha, Aiko Shimajiri e Tatsurou Kinjo.

Captura de Tela 2016-07-10 às 22.53.39

Candidatos ao Senado – Okinawa (Foto: NHK World)

Yoichi Iha, ex-prefeito de Ginowan, candidato sem partido e com discurso anti-base, contou com o apoio do governador Onaga. Ele fez seu primeiro comício em Henoko e espera que Okinawa se torne um lugar mais pacífico sem as bases militares. De acordo com o candidato, essa eleição será a batalha final para que o governo japonês desista de vez da construção em Henoko.

Aiko Shimajiri, do PLD, é atual Ministra dos Assuntos de Okinawa. Há 6 anos, quando foi eleita senadora, era contra a base em Henoko. Depois, pressionada pelo seu partido, mudou de posição e passou a apoiar a construção da base em Henoko e foi taxada de traidora por muitos dos eleitores. Nessa eleição, ela disse que as bases não são o único problema de Okinawa e que medidas econômicas são necessárias para a província.

Tatsuro Kinjo, do Partido pela Realização da Felicidade (幸福実現党 kōfuku jitsugen tō), da cidade de Ishigaki, questionou se a saída das bases são uma solução. Ishigaki, ao sul de Okinawa, abrange as ilhas Senkaku, disputadas por China e Japão.

No final do dia, o resultado foi anunciado: Yoichi Iha venceu a eleição, com 356.555 votos. Em segundo lugar ficou Aiko Shimajiri,  249.955 votos. Kinjo recebeu 9.937 votos. Com o resultado, o grupo All Okinawa agora domina os 6 assentos de Okinawa no Legislativo (Senado e Asssembleia – ou Câmara Alta e Câmara Baixa). Dessa forma fica claro que a maior parte dos okinawanos não apóia a construção da base em Henoko e que este tema é a principal pauta das discussões políticas em Okinawa, vindo antes que educação e economia. Também é importante observar que, enquanto maioria dos políticos eleitos são do PLD, em Okinawa todos eles tem fracassado. Tudo isso mostra a peculiar situação de Okinawa dentro do contexto japonês.

Mudando um pouco de assunto, gostaria de citar mais 3 fatos interessantes:

1. Eriko Imai, ex-integrante do grupo SPEED, também foi eleita senadora

Nascida em Okinawa, Eriko Imai, cantora do grupo SPEED (sucesso nos anos 90), anunciou em fevereiro sua candidatura pelo Partido Liberal Democrático, surpreendendo a todos. Eriko foi eleita ontem como candidata pela representação proporcional (比例代表 – hirei daihyō), e não pelo voto direto.

Captura de Tela 2016-07-10 às 19.18.46

O Primeiro Ministro Shinzo Abe e Eriko Imai (Foto: Japan Times)

Com 32 anos, ela tem um filho de 11 anos com deficiência auditiva. Em sua campanha, em linguagem de sinais, Eriko disse ansiar por uma sociedade em que crianças com deficiência possam ter esperanças.

Sobre a questão de Henoko, ela afirmou que é o desejo de todos amenizar o fardo das bases militares em Okinawa e que quer escutar as opiniões da população. Entretanto, ela foi criticada por não ter respondido as entrevistas dos jornais Mainichi Shinbun e Okinawa Times, sendo acusada de não possuir interesse suficiente na política.

Hoje na televisão, após ser eleita, ela foi questionada sobre o distanciamento da questão das bases militares em sua campanha. Ela surpreendeu o entrevistador ao dizer que, por morar desde os 12 anos em Tokyo, não conhecia a realidade de Okinawa e que só havia visitado o local uma vez durante a campanha. Porém, ela afirmou que a partir de agora irá se dedicar ao tema.

2. O voto não é obrigatório no Japão

Nos últimos dias, vi muitos amigos (jovens) falando sobre eleição. Também percebi um movimento incentivando as pessoas a votarem porque é importante participar da política, num momento delicado para o Japão. Essa foi a primeira eleição em que o voto é permitido para maiores de 18 anos (antes era 20, a idade em que se atinge a maioridade).

Em Okinawa, o índice de participação na votação foi de 54,46%, havendo um aumento de 1,3% em relação à eleição anterior. Já no Japão, o índice foi de 54,70%, com aumento de 2,09%.

Captura de Tela 2016-07-10 às 22.49.59

Índice de participação nas eleições para o Senado (Foto: Okinawa Times)

3. Curiosidades sobre campanha política no Japão

Por fim, algumas curiosidades. Em Okinawa, vi algumas campanhas políticas e achei bem diferente do Brasil. O video abaixo explica de um jeito legal:

De fato, vi muitos políticos usando luvinha branca e também uma faixa na cabeça com os dizeres “hisshō” (必勝), que significa “vitória certa”.

Fonte:

https://www.buzzfeed.com/kotahatachi/speed-sterting-over?utm_term=.vnDyzgQOL#.am7JQq1Za

http://ryukyushimpo.jp/news/entry-302793.html

http://www3.nhk.or.jp/nhkworld/en/news/editors/3/20160704/

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2016/07/09/colegios-eleitorais-abrem-no-japao-para-eleicoes-para-o-senado.htm

http://www.asahi.com/ajw/articles/AJ201602100077.html

http://www.huffingtonpost.jp/2016/07/10/eriko-imai_n_10914758.html

http://www3.nhk.or.jp/news/html/20160711/k10010590561000.html?utm_int=all_side_ranking-social_001

https://www.okinawatimes.co.jp/article.php?id=177735

Fotos:

http://www.japantimes.co.jp/news/2016/07/10/national/politics-diplomacy/pop-star-imai-wins-upper-house-seat/#.V4KgLJMrLR0

https://www.okinawatimes.co.jp/photo_detail/?id=177735&pid=3851277

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s